O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DA LIBRAS NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Cristiaine Silva Ribeiro

cristiane-06

Imagem: enviada por Cristiaine Silva Ribeiro

3o-ciclo-palestra_novo
Realize o seu pré-cadastro
Confirme no seu e-mail

Com a temática da inclusão em uma perspectiva de educação especial como sistema de ensino e o reconhecimento legal da Língua Brasileira de Sinais (Libras) como forma de comunicação e expressão a disciplina de libras é acrescido como componente curricular obrigatório nos cursos de formação de professores de acordo com regimentos legais para que os discentes tenham um embasamento teórico empírico para a sua atuação docente, além do aprendizado básico da língua de sinais e de termos específicos de acordo com cada área da licenciatura visando uma comunicação efetiva entre professor-aluno, aluno este usuário da língua de sinais.
De acordo com o discorrido acima, elegeu-se para este artigo o título “O processo de ensino-aprendizagem de libras nos cursos de formação de professores”, pois, entende-se que o professor é um articulador de novos conhecimentos e deve proporcionar este conhecimento para todos os alunos a ele confiados.
Para isto, o professor precisa tornar a disciplina prazerosa por meio de estratégias para o ensino da libras despertando o olhar dos discentes sobre a relevância da mesma e sobre as especificidades da pessoa surda ou com deficiência auditiva, e não apenas o aprendizado de sinais, porque sem a prática os sinais se “perdem” no esquecimento de forma natural, mas o adorno pedagógico sobre a educação de surdos deve ficar marcado para uma efetiva aprendizagem da disciplina que passa além do aprendizado de sinais, mas de conceitos, metodologias e estratégias didáticos pedagógicos próprias para a educação inclusiva do surdo.
Ressaltando que os alunos trazem para sua formação uma bagagem de conhecimentos e crenças sobre o ato de ensinar relacionado às experiências escolares vividas que vão de encontro da proposta de uma escola inclusiva, por isso o docente no processo de ensino -aprendizagem da disciplina de libras necessita de estratégias e recursos para a desconstrução de conceitos e reestruturação de saberes sobre a prática escolar que vai além da sala de aula acadêmica.
Assim, este trabalho tem por objetivo refletir sobre o processo de ensino e aprendizagem da libras na formação de professores, auxiliando-os em sua prática didática pedagógica.

 

 

 

"...sem a prática os sinais se “perdem” no esquecimento..."

Compreendendo os processos de aprendizagem abordados, não basta apenas ofertar a disciplina de libras como cumprimento legal, mas promover uma formação plena, capacitando os discentes para a atuação junto a alunos surdos.
Para isso, a disciplina de libras deve ofertar mecanismos diversificados dentro de um contexto histórico, político, cultural e social. Oportunizando um diálogo entre o ensino e a aprendizagem que segundo Godoi (2011): 

Ensinar a Língua de Sinais considerando suas especificidades enquanto Língua Gestual pode contribuir significativamente não só para a transformação de métodos de ensino de libras, mas também para uma (re) organização de trabalho pedagógico, colaborando para uma definição da forma de ensinar e aprender a Língua de Sinais Brasileira. (GODOI, 2011 p. 735).

 

Esta organização inclui a seleção de conteúdos a serem trabalhados e a diversidade de estratégias que devem ser pesquisadas e utilizadas no ensino da libras nos cursos de formação de professores para uma aprendizagem concreta.
O professor deve proporcionar o ensino da libras ao discentes de forma interpessoal no processo de relação entre ensino e aprendizagem.
Nessa perspectiva o processo de ensino e aprendizagem requer um estudo mais profundo dos elementos e das relações estabelecidas no triangulo, entendendo que o ato de ensinar estabelecida na relação professor e aluno está voltado para a “elaboração didática”, já o ato de aprender está ligada a relação entre o conteúdo e o aluno na esfera “estratégias de aprendizagem”, estratégias estás abordadas por Simão (2004) na questão da autorregulação da aprendizagem; e a formação está na relação professor aluno está ligada pela “elaboração pedagógica”.
Dessa forma o docente de libras no curso de licenciatura deve ir além do ato de ensinar sinais, ele deve colaborar com a aprendizagem do aluno o reconhecendo no seu papel no ato de aprender, acolher as diferenças existentes e despertar os protagonistas para pesquisas tendo o surdo como objeto de estudo. Para que, quando o futuro professor adentrar a sala de aula comum e receber um aluno surdo ele seja capaz de atuar atendendo as necessidades educativas desse aluno desde ao seu planejamento a aplicabilidade dos conteúdos.
Assim o IFF - Fluminense campus centro do Município de Campos dos Goytacazes RJ busca não só a inserção da libras como disciplina curricular nos cursos de licenciatura, mas a formação de professores apitos para o atendimento a alunos surdos ou com deficiência auditava, incluindo conceitos, métodos, seminários e estratégias para sua atuação além dos sinais básicos para comunicação e sinais específicos.
Libras também, é incluída em todo o processo educacional do Instituo em níveis de ensino, pesquisa e extensão.
Para este trabalho foi realizado um estudo bibliográfico sobre o processo de ensino- aprendizagem e também sobre a Língua Brasileira de Sinas (LIBRAS) e seu ensino nos cursos de formação de professores.
E a aplicabilidade desse estudo no processo de ensino e aprendizagem nos cursos de licenciatura do Instituto Federal Fluminense – IFF, campus centro. Que visa a capacitação profissional de seus alunos, para isso a disciplina de libras é ministrada relacionando questões teóricas relativas à educação de surdos, desde o conhecimento da história do surdo no Brasil e no mundo ao papel do professor e sua didática pedagógica para atender ao surdo, por meio de aulas expositivas, seminários, elaborações de plano de aula e criação de estratégias pedagógicas. E também do ensino introdutório a gramática da língua de sinais que são ministrados usando recursos próprios da língua gestual, ou seja, por meio de recursos visuais e estratégias especificas para cada conteúdo e o ensino de sinais específicos de cada área. Ressaltando o papel dele como professor educador de escola comum com alunos surdos.
Os resultados obtidos foram coletados nessa pesquisa por meio do método qualitativo de observação da apreciação dos discentes nas aulas de libras ministradas nos cursos de licenciaturas.

Segundo Maamen (1979a), a pesquisa qualitativa assume vários significados no campo das ciências sociais, sendo entendida como um conjunto de técnicas interpretativas que tem o objetivo de descrever e interpretar os fenômenos sociais.
Godoy (1995b) aponta três possibilidades na pesquisa qualitativa: a pesquisa documental, o estudo de caso e a etnografia.
A pesquisa documental é feita na análise de diversos documentos; o estudo de caso já é uma pesquisa mais profunda de um fenômeno; e a etnografia um estudo em que o pesquisador investe tempo com o fenômeno, reside em um ambiente para analise, a fim de um diagnostico mais preciso.
Moreira (2004) em caráter qualitativo este tipo de pesquisa busca interpretar as ações dos sujeitos na sociedade, ou seja, pode ser os sujeitos estes alunos de uma escola ou classe comum.
Com base no que foi exposto acima, durante a observação da apreciação nas aulas e dos experimentos realizados, foi registrada as percepções dos discentes dos cursos envolvidos a fim de obter dados qualitativos para a referente pesquisa.
Conclui-se que a pessoa que atua como professor de língua de sinais deve ser um professor habilitado para o ensino da libras e necessita estar inserido na comunidade surda local e buscar aperfeiçoamento e capacitação continua para exercer sua profissão da melhor forma, instruindo os licenciandos em sua prática frente a alunos surdos.
Entendendo que o papel do docente de libras é proporcionar uma aprendizagem efetiva dos futuros professores por meio de estratégias especificas para o ensino da libras.
Porém os discentes têm a função de regular sua própria aprendizagem e precisa buscar uma capacitação continua frente à educação inclusiva nas escolas regulares com alunos surdos, capacitação está que vai além da disciplina de libras estudada na formação superior, mas um estudo aprofundado em pesquisa para atender de forma adequada a todos os alunos inclusive os alunos surdos confiados a eles.
Isso dependerá de todo o processo de ensino e aprendizagem desenvolvido no meio acadêmico voltado para a educação de surdos e ensino da libras.
Após a análise, recomenda-se que mais pesquisas sobre o tema sejam desenvolvidas, e aplicadas por meio de verificação da atuação dos docentes de libras e dos professores da escola comum que tiveram a disciplina de libras em sua formação acadêmica e atendem alunos surdos.

 

cristiane-04

Imagem: enviada por Cristiaine Silva Ribeiro

FORMAÇÃO:
• MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO;
• ESPECIALIZAÇÃO EM LIBRAS E EDUCAÇÃO ESPECIAL;
• ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA COM ÊNFASE EM EDUCAÇÃO INCLUSIVA;
• GRADUAÇÃO EM LETRAS;
• CERTIFICAÇÃO EM TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE LIBRAS/LP – PROLIBRAS;
• CERTIFICAÇÃO NO USO E ENSINO DA LIBRAS/ PROLIBRAS.

ATUAÇÃO:
• INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FLUMINENSE – IFF CAMPUS CAMPOS CENTRO;
• UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA – UNIVERSO CAMPUS CAMPOS;


Publique o seu relato de experiência ou artigo no Portal Educação Inclusiva. Clique aqui e acesse o formulário.

Possui alguma dúvida? Deseja enviar uma sugestão? Entre em contato conosco! 
Mas, antes, não esqueça de consultar a nossa sessão de dúvidas frequentes.

 

FORMULÁRIO DE CONTATO

 

Por favor, insira seu nome.
Informe um telefone válido.
Por favor, escreva sua mensagem.

Possui alguma dúvida? Deseja enviar uma sugestão? Entre em contato conosco! 
Mas, antes, não esqueça de consultar a nossa sessão de dúvidas frequentes.

 

FORMULÁRIO DE CONTATO

 

Por favor, insira seu nome.
Informe um telefone válido.
Por favor, escreva sua mensagem.